Biblioteca de Cáceres

Campanha de Conservação do Acervo

As bibliotecas periodicamente despendem grandes quantias para restaurar livros, repor obras desaparecidas, extraviadas, furtadas ou descartar obras sem condições de uso. As depredações mais comuns encontradas nas obras são: folhas e lombadas soltas, capas rasgadas, sujas, páginas rasgadas, páginas ou capítulos inteiros extraídos, textos grifados com lápis, caneta e marca-texto.

A educação dos usuários é a única forma para conservar os materiais da biblioteca. Alguns materiais, tais como, fitas, vídeos, fotografias, CDs e DVDs, necessitam de cuidados de armazenagem e manuseio ainda maiores para garantir a sua conservação. A depredação das obras da biblioteca prejudica a formação acadêmica, principalmente de novos usuários, uma vez que a aquisição obras de forma muita lenta.

Com objetivo de orientar e educar seus usuários, a Biblioteca Regional de Cáceres, criou a Campanha de Conservação do Acervo. A resolução 020/2006 estabelece penalidades aos usuários que depredarem o patrimônio, livros e espaço físico, da biblioteca, contudo esta campanha tem um foco mais divertido e descontraído de estimular seus usuários à boa prática de conservação de obras e ao exercício da cidadania.

As primeiras regrinhas a ser seguidas para um bom conservador são:

  • Não coloque objetos sobre livros abertos, pois danificam a encadernação;
  • Não coloquem obras dentro de outras obras, pois isso fará que as folhas e capas se soltem;
  • Não subtraia a obra no todo ou em parte (páginas);
  • Ajude a cuidar dos materiais da biblioteca, pois são patrimônio público;
  • Comunique à biblioteca caso observe alguém danificando ou furtando o acervo;
  • Evite o uso de marcadores de páginas metálicos, pontiagudos, clips e outros, que oxidam com o tempo;
  • Não dobre as folhas, use marcador de papel.;
  • O livro não foi feito para servir de apoio, a única função do livro é disseminar conhecimento;
  • Manuseie os volumes com as mãos limpas. Isso mesmo! Higiene e educação caminham juntas;
  • Não passe saliva ou outro material líquido como auxiliar dos dedos para virar as páginas;
  • Evite acidentes, mantenha lanches, comida, café, água ou sucos longe dos livros;
  • Proteja o livro da chuva, acondicione-os em sacolas plásticas para protegê-las dos pingos;
  • As obras são da biblioteca, e não lhe pertence, não escreva nelas sob-hipótese alguma;
  • Mantenha as obras emprestadas longe de crianças pequenas;
  • Não deixe os livros em expostos ao sol, pois os raios e o calor descolorem os pigmentos e oxidam o papel;
  • O excesso de umidade pode acarretar na colagem das folhas das obras, por isso mantenha-as em local arejado;
  • Rasgou? Nunca use remendo com fitas adesivas ou cola. Entregue ao setor de restauro da biblioteca;
  • Não fume perto das obras e nunca deixe-as locais quentes que produzem fogo;
  • Mais uma dica: o livro da biblioteca não é seu! Lembre-se disso...
  • Os cientistas identificaram “novas” espécies de vírus frequentadores da Biblioteca Regional de Cáceres. Os vírus são encontrados nos diversos ambientes da biblioteca e também em residências e salas de aula. O único antivírus disponível para combater tais pragas é o bom hábito e a educação. Veja as espécies catalogadas:

    Desorganizallus livrum

    Espécie: Desorganizallus livrum
    Descrição: Quando acomete uma vítima, o usuário hospedeiro passa a ter um desejo irresistível de tirar dezenas de livros e revistas das estantes, deixando-os desorganizados no acervo, geralmente lê apenas os índices e vai embora. Pode ser localizado facilmente nos corredores dos acervos e nas estantes de revistas.

    Surrupilis livrum papaprovum

    Espécie: Surrupilis livrum papaprovum
    Descrição: Nesse tipo de vírus, o usuário contaminado é vítima de um egoísmo fora do normal. Seu lema é: “Este livro é meu, só meu”. Seu egoísmo é tão grande que ele passa a levar consigo diversos livros sem registrar os empréstimos e depois de algum tempo deixa-os esquecidos nos cantos. Costuma aparecer nos corredores da biblioteca em períodos de prova e geralmente não aparece fora desse período.

    Surrupilis livrum papaprovum

    Espécie: Reclamarium num aceitum mutum
    Descrição: o usuário contaminado por este vírus sente-se profundamente irado e raivoso, para desespero dos atendentes, como se uma multa a ser paga no banco fosse a coisa mais injusta do mundo. É encontrado nos arredores do balcão de atendimento.

    Pretatoriuns Caniballis Livrum

    Espécie: Pretatoriuns Caniballis Livrum
    Descrição: quando atacado por este vírus, o usuário sente uma vontade louca vontade de destruir, rasgar, riscar e pintar livros. Pode ser localizado dentro e fora do recinto da biblioteca.

    Esprimentariuns livrum

    Espécies: Esprimentariuns livrum
    Descrição: o usuário contaminado fica com uma vontade irresistível de provar o gosto dos livros. O infectado molha os dedos com saliva, com o objetivo de mudar as páginas do livro. Facilmente encontrado nas salas de estudo e próximo às estantes.

    Caradipallus Conectarium celullaris

    Espécie: Caradipallus Conectarium celullaris
    Descrição: as vítimas atacadas são acometidas por uma teimosia irredutível, insistindo em falar ao celular em ambiente de leitura e silêncio. Localizado nos corredores, nas salas de estudo, nos acervos, nos banheiros e em todo lugar onde haja alguém por perto.

    Extratatilions Capitulum Livrum

    Espécie: Extratatilions Capitulum Livrum
    Descrição: é um dos vírus mais perigosos, o usuário contaminado têm suas mãos afetadas e ficam ansiosos e acabam não resistindo ao desejo de arrancar, extrair, cortar e surrupiar capítulos inteiros dos livros, algumas variedades gostam de surrupiar também periódicos e revistas. São especialistas e dificilmente são pegos no controle de contaminação. Encontrado nas salas de estudo e fora do ambiente da biblioteca.

    Vacine-se

    Fale Conosco: coordecom@unemat.br